sexta-feira, 20 de abril de 2018

105 anos do Clássico Bra-Pel

Hoje, dia 20 de abril de 2018, o Clássico Bra-Pel comemora 105 anos do primeiro confronto. O primeiro clássico Bra-Pel foi disputado no dia 20 de abril de 1913, com vitória do Pelotas por 5 a 0 com os titulares e  8 a 2 no confronto dos reservas.

O clássico Bra-Pel foi citado na revista Trivela, como o vigésimo segundo maior clássico do Brasil e o segundo maior do estado, atrás apenas do clássico Gre-Nal.

Com mais de cem anos de história, o Bra-Pel é considerado por muitos especialistas como o maior clássico do interior do Rio Grande do Sul e um dos maiores do interior do Brasil, devido à fidelidade e fanatismo de ambas as torcidas.

Ao longo desses 105 anos de clássicos disputados,  já tivemos por algumas vezes grandes jejuns. O Brasil ficou sem vencer o Pelotas por dez anos, com o jejum tendo durado de 1982 até 1992. Já o Pelotas foi protagonista de outro jejum de dez anos, ficou sem vencer o rival de 2003 até 2013. 

No passado, talvez inspirado no Fla-Flu, o Bra-Pel era chamado de "Clássico das Multidões".





Os atuais tabus do clássico Bra-Pel:

*Ultimo Clássico = Pelotas 1x0 Brasil  - Copa Fernandão – 24/08/2014

* Ultima derrota do Pelotas = 12/11/2013 - Brasil 2x1 Pelotas
Obs: Nesse clássico o Pelotas se tornou campeão da Copa Sul Fronteira, pois havia vencido o jogo de ida por 1 a 0. Com a derrota de 2 a 1 e o gol marcado fora de casa, a taça ficou com o Lobo. Foi uma derrota, digamos que, feliz. Talvez a melhor derrota da nossa história. A festa virou a madrugada. (Quase 5 anos sem perder)

* Ultima derrota "amarga" = 05/11/2013 - Brasil 2x1 Pelotas - Final do 2º turno
(Quase 5 anos sem perder)

* Ultima derrota do Pelotas na Boca do Lobo = 09/10/2011 - Pelotas 1x2 Brasil
 (quase 7 anos sem perder)

* Ultima derrota do Pelotas no Campeonato Gaúcho = 09/12/1992 - Brasil 1x0 Pelotas
(Quase 26 anos sem perder)

* Ultima derrota do Pelotas no Campeonato Gaúcho jogando na Boca do Lobo = 28/09/1980 - Pelotas 0x3 Brasil (Quase 38 anos sem perder)

* Ultima derrota do Pelotas no Campeonato Brasileiro = 06/10/2001 - Pelotas 0x1 Brasil - Série C
(Quase 17 anos sem perder)

sexta-feira, 9 de março de 2018

A máquina imbatível de 1915



No longínquo ano de 1915, o Pelotas formou um time que encantou a todos e que partida a partida foi aniquilando seus adversários e conquistando a fama de time imbatível. Na temporada foram 35 vitórias em 34 jogos, 205 gols marcados contra apenas 27 sofridos, um verdadeiro massacre aos seus adversários. O time que formava com Pereira, Alberto, Roberto, Augusto Bertone, Juan Bertone, Moura, Octavio, Pons, Décio, Calero e Abelardo, não foi páreo para nenhuma outra equipe do Rio Grande do Sul. O time que se sagrou campeão da cidade ao vencer na final o Brasil por 4 a 0, na sequencia garantiu o 100% de aproveitamento contra os times da região sul e da capital do estado, fechando a estupenda campanha com uma goleada contra o Campeão da Região Metropolitana, quando venceu o Grêmio por 5 a 2 em Porto Alegre. 

O conjunto Áureo Cerúleo foi sem duvida um dos melhores times da história do Pelotas, uma verdadeira maquina de vencer, como foi registrado pelo Jornal Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro e que podemos conferir na matéria abaixo.




Matéria/Foto: Jornal Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro. 

sábado, 6 de janeiro de 2018

Encontro de ex Atletas do Pelotas


Na ultima Sexta-Feira (29), foi realizado no Parque Lobão, em comemoração ao aniversário do ex meio campista e hoje auxiliar técnico do Pelotas, Felipe Muller, um jogo festivo que contou com a presença de diversos ex atletas do clube.

Alem do próprio Felipe Muller, o evento contou com as ilustres presenças de Henry, Vinicius, Paulo Ricardo, Fabiano, Chupeta, Eugênio, Alexandre Xuxu, Roger, Moacir, Eduardo, Matarazo, Paulo Peter, Alexandre Boiota, Geverton, Luciano, Renatinho, Pablo entre outros convidados. 

Na oportunidade, também foi realizada uma homenagem aos ex. treinadores das categorias de base, Gilberto  Carapeços "Dedé" e Zé Bento.



Confira as fotos do evento: 



























domingo, 29 de outubro de 2017

Há 77 anos, o Peñarol de Varella fugia do Pelotas na Boca do Lobo

No dia 25 de agosto de 1940, após estar vencendo por 3 a 0, os Uruguaios viram o Pelotas crescer na partida e marcar dois gols no inicio da segunda etapa. Foi quando aos 31 minutos de partida, o jogador Camaiti, do Club Atlético Peñarol, saiu  de campo lesionado, sendo esse o motivo declarado pelos Uruguaios para os seus jogadores se retirarem de campo, para consternação de todos os torcedores presentes ao estádio, assim como para a imprensa gaúcha que cobria com grande interesse a partida. No Jornal Diário de Noticias, a crônica da capital tratou a atitude do Peñarol como Varzeana. 

Após a confusão, o Pelotas mesmo contrariado entregou de forma cortês as medalhas e a Taça Batista Luzardo, aos jogadores Uruguaios, que por sua vez, no almoço oferecido pelo Áureo-Cerúleo, reconheceram o erro e a falta de desportividade, considerando o Pelotas, de fato e direito, o vencedor da partida. 


A imprensa da Capital, com enorme interesse, noticiava nos dias 24 e 25 de agosto a chegada do poderoso Club Atlético Peñarol, que até aquela data já contava com 14 Títulos Nacionais e que nos anos seguintes viria a se tornar Penta Campeão da Copa Libertadores da América e Tri Campeão Mundial. 


O Pelotas que já havia conquistado o Bicampeonato Gaúcho nos anos de 1911 e 1930, aguardava com ansiedade o confronto com o Peñarol. O Rio Grande do Sul parou para acompanhar o confronto entre o Áureo Cerúleo Gaúcho, contra o Carbonero de Montevidéu. 


Na matéria do dia 26, o Jornal deu destaque para o confronto: Peñarol não foi ao final da luta! Sem duvidas um dos maiores vexames na história do Clube Uruguaio. 


Matéria na integra:


PEÑAROL NÃO FOI AO FINAL DA LUTA

CONTUNDIDO, CAMAITI ABANDONA O GRAMADO

Três tentos fizeram os Uruguaios e dois assinalaram os Pelotenses

Entregue aos visitantes a Taça Batista Luzardo

PELOTAS, 26 - A cidade se engalanou com a visita do Club Atlético Peñarol. Desde cedo as dependências do Estádio da Avenida Bento Gonçalves foram se lotando, apesar da "garoa" que caia sobre a "Princesa do Sul". Muito antes da hora da entrada dos quadros em campo, as instalações do Esporte Clube Pelotas estavam ocupadas. 

A partida se dividiu em duas fases distintas. A primeira, indiscutivelmente, transcorreu a favor dos visitantes. Demonstrando belo padrão de jogo, os uruguaios dominaram. Três vezes atingiram as redes confiadas á guarda de Alcides. Varela (2) e Orlando (1), foram os autores das conquistas dos orientais. Varela firmou-se como grande craque. O trabalho da equipe visitante entusiasmou a torcida, que não regateou aplausos.
No período complementar, que transcorreu sob copiosa chuva, o campo se tornou mais pesado. Os lances foram violentos. Os locais, reagindo, descontaram, aos 15 minutos, por intermédio de Eugênio. Minutos mais tarde, Marzol diminuiu a diferença. Em face de um acidente com Camaiti, o jogo se interrompeu, não mais sendo reiniciado. faltavam 14 minutos. 

ENTREGUE A "TAÇA BATISTA LUZARDO" E AS MEDALHAS

Num gesto de fidalguia, o Esporte Clube Pelotas procedeu a entrega da Taça Batista Luzardo, intitulada pelo nosso embaixador em Montevidéu, bem como as medalhas, ao valoroso Peñarol. Houve troca de discursos.
Os chefes da missão visitante: Omar Rossi, chefe da delegação, e Angel Cantero, secretário, foram cumulados de atenções. 

REGRESSAM HOJE OS URUGUAIOS

Pelo trem, a embaixada do Peñarol regressará, rumo a Jaguarão, onde tomará o carro motor em Rio Branco. No clube Comercial, os visitantes foram obsequiados com um almoço, que transcorreu num ambiente de alta cordialidade. Fizeram-se ouvir diversos oradores.
Como convidado de honra do Pelotas, veio o desportista Juan Alonso Mintegui, que muito colaborou para a visita do Peñarol á "Princesa do Sul".
A atuação de Teotônio não agradou aos uruguaios, sobretudo no segundo período, quando se mostrou tolerante com as jogadas bruscas.



No dia 27 o mesmo jornal destacava o gesto "cavalheiresco" do Esporte Clube Pelotas.


O PEÑAROL ABANDONOU O CAMPO

Realizou-se em Pelotas o encontro entre o Peñarol, de Montevidéo e o Club de Pelotas. Os jogadores Uruguaios ali chegando em carro motor, tendo tido festiva recepção. O jogo desenvolveu-se acidentado. O half Garcia, do Peñarol, fez um violento foul em Caimaiti, que reagiu, contundindo aquele. Explica-se que o jogo se tornou violento pelo estado do campo, encharcado pelas chuvas. Alegando ter de jogar no próximo domingo em Montevidéu, com o Nacional e para que os seus jogadores não ficassem machucados, retiraram-se os Uruguaios do campo, faltando 18 minutos para o fim do tempo. Declarando, entretanto, que consideravam victoriosos os Pelotenses.  No primeiro tempo, terminou o jogo em 3 a 0 a favor do Peñarol, mas, no segundo tempo houve uma forte virada em favor do Pelotas, que muito desnorteou o esquadrão visitante. O Peñarol teve duas vezes furada a sua cidadela. Estando o jogo 3x2, resolveu então deixar o campo, sob protestos do publico, que não achou muito spotivo o procedimento dos visitantes.  O jogo dos Uruguaios agradou muito no primeiro tempo.

* Jornal Correio da Manhã, do Rio de Janeiro.


Time que enfrentou o Peñarol em 1940
25/08/1940 - Pelotas 1x0 Penharol-URG (Boca do Lobo) Taça Batista Luzardo
-->  2x3 até aos 31 minutos do 2º tempo - Pelotas 1 a 0 no W.O
Ficha Técnica:
Pelotas:  Alcides, Lamas, Vaz, Garcia, Birilão, Miguel, Dom Pedrito, Perez (Marzol), Arruda, Eugênio e Pardal.
Penharol:  Barros, Clulow, Prade, Zunido, Palermo, Raul Rodriguez, Orlando, Vasquez, Naon, Varella e Camaiti.
Arbitro: Teotônio Brasil.
Gols: Varella (2) e Orlando para o Peñarol - Eugênio e Marzol para o Pelotas


Fontes:
Jornal do Dia - Porto Alegre-RS
Jornal Correio da Manhã - Rio de Janeiro-RJ
Livro, o Futebol em Pelotas 

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Almoço Popular 109 anos do Pelotas

Registro do Churrasco Popular dos 109 anos do Esporte Clube Pelotas, realizado no dia 22 de outubro no Parque Lobão. Vídeo de homenagens aos 109 anos do Esporte Clube Pelotas com mensagens de Théo Becker, Gavião, Alexandre Gaúcho, Rubiane, João Miguel, Luis Carlos Gaúcho, Gilmar, Rafael, Smigol, Tiago Duarte, Sandro Sotilli e Tiago Gaúcho. 







Fotos de Andressa Borges.